9 de jun de 2016

Nova tag: Diário de transição

Resolvi partilhar aqui no blog esse período tão delicado de transformação e mudanças. Espero, assim, conseguir passar "melhor" por essa fase, dividindo tudo o que aprendo diariamente e registrando todo esse processo de auto aceitação.


PATINHO FEIO


Voltando para a minha adolescência eu lembro que não achava nada legal ter cabelos cacheados. Primeiro de tudo: não achava bonito. Pra onde eu olhava via todas aquelas atrizes e modelos lindas, com seus cabelos brilhosos, esvoaçantes e... lisos! Segundo: eu me sentia excluída da galera por causa da aparência, isso incluía o cabelo. Parece bizarro mas eu cresci no condomínio vendo minhas amigas branquinhas com cabelo liso e achava aquilo o máximo. Eram bonitas, inteligentes, tinham vários meninos interessados... mas comigo não era bem assim. Ao me olhar no espelho eu não via aquela "beleza" e fazia vários questionamentos e julgamentos internos que me deixavam pra baixo, levando junto a minha auto estima. 

Já com meus 16/17 anos, com a chegada da escova progressiva "milagrosa", eu vi meus problemas com o cabelo acabarem. Imagina só poder ter aquele cabelo liso, com aspecto mais natural, a raiz bem baixinha, poder penteá-lo todos os dias sem ter que molhar, fazer uma franja... Naquele momento o cabelo alisado fez com que eu me sentisse mais bonita e, de fato, recebia vários elogios que eu nunca tinha recebido antes. Parece que finalmente eu tinha encontrado a minha verdadeira identidade ou beleza. 

Assim, foram 10 anos fazendo diversas escovas progressivas e alisamentos no meu cabelo e isso levou embora todos os cachos, fazendo com que meu cabelo ficasse completamente esticado. Fiquei escrava da chapinha durante todo esse tempo, mas nunca reclamei, me sentia muito mais bonita assim. Não me incomodava em ter que escová-lo e pranchá-lo sempre que eu lavasse meu cabelo porque eu pensava no resultado final e me sentia satisfeita. Claro, muitas e muitas vezes batia um cansaço, preguiça, dava trabalho (e muito) mas eu precisava daquilo. Meu cabelo natural já não era mais o mesmo e sair sem chapinha era garantia de um bad hair day daqueles, ou seja, novamente a auto estima lá no chão.

O INÍCIO


No ano de 2014 foi quando fiz minha primeira tentativa de iniciar a transição capilar. Incentivada por uma amiga muito querida que já havia passado pela transição, fiquei um período de 4 meses sem alisar o cabelo de maneira nenhuma (além da escova/chapinha), mas depois acabei desistindo. Hoje, depois de um corte químico causado por um produto para alisamento, eu completo novamente 4 meses em transição, mas dessa vez, mesmo com todas as dificuldades que tenho sentido, SEM CHANCES de desistir.

A verdade é que a transição capilar é um processo lento e pode ser doloroso para muitas pessoas, assim como foi e tem sido pra mim. Acontece que você vê sua imagem construída durante anos e anos de uma forma e acaba sendo muito difícil se sentir bonita de uma hora pra outra fazendo exatamente o contrário. 
É, eu fui parte dessa tal "ditadura do cabelo liso". Uns dizem que é mimimi, outros dizem que é modinha, mas não é só uma questão de estética, é identidade. Agora eu sinto que quando você assume seu cabelo natural está fazendo parte de uma revolução, mesmo que indiretamente. Você assume que você tem o seu cabelo, seu rosto, seu formato de corpo, sua cor da pele e é exatamente isso que te faz singular. Você deixa de lado também essa história (racista) de que cabelo bonito é cabelo liso. Eis aí uma parte do tal empoderamento que tanto temos ouvido falar ultimamente. 

Lendo em vários blogs, tenho percebido que durante a transição muitas mulheres se sentem feias e com a auto estima baixa (como eu me sinto agora) mas que, ao final desse processo, todas se lembram do quanto foi difícil chegar até onde chegaram e se sentem tão poderosas e felizes com sua aparência que nenhuma opinião contrária importa. Finalmente se sentem naturalmente belas como elas realmente são.

Bem, nota-se que o assunto rende pano pra manga então vou me despedindo por aqui. Nas próximas postagens eu continuo falando porquê eu resolvi recomeçar a transição e mostrando a minha evolução, além das técnicas que tenho aprendido e as minhas inspirações, meninas lindas e seus cabelos fantásticos que tem me dado forças pra continuar. :)

Imagens: Reprodução
© Trend S/A
Maira Gall