6 de abr de 2015

Ainda há tempo

São Paulo de lembranças, cores e sons. Há qualquer coisa de inexplicável nessa cidade. É apressada, barulhenta, muitas vezes cruel. Mistura dia com noite, tudo vira luz, dos postes, de neon, dos faróis. O trânsito é lento, mas o resto é trepidante e provisório.
O que procuram os paulistas nessa busca sem descanso? Não tente entender de cara o que tanta gente persegue sem parar. A realização dos sonhos paulistas parece estar sempre mais à frente, num lugar onde nunca se chega. Tudo é ambíguo, tudo parece novo, mesmo que seja velho. Tudo parece belo, mesmo que seja feio.
Fique apenas imóvel em qualquer esquina e sinta o leve tremor sob seus pés. Depois ouça o murmúrio incessante, um ruído de fundo, invisível, que não se interrompe nem nas horas mais tardias. São Paulo fala com você.
"E as pessoas se olham e não se falam, se esbarram na rua e se maltratam. Usam a desculpa de que nem Cristo agradou, falou, você vai querer mesmo se comparar com o Senhor? As pessoas não são más, elas só estão perdidas." Criolo


Beco do Batman/SP


© Trend S/A
Maira Gall